História de Chapada

09/02/2011 02:13

Os fundamentos históricos de Chapada dos Guimarães são contemporâneos aos de Cuiabá.Em 1726, o Capitão General da Capitania de São Paulo, Dom Rodrigo César de Menezes, cedeu, através da carta sesmaria, uma extensa área de terras a Antonio Almeida Lara.

 

 

Almeida Lara era sorocabano e tinha patente de tenente coronel. A sesmaria denominava-se Buriti Monjolinho e a sede foi edificada no lugar onde encontra-se atualmente a Escola Evangélica de Buriti. O sesmeiro dotou a propriedade de engenho de cana-de-açucar e, a seu mando, inúmeros escravos deitaram sementes de cereais em terras chapadense.Sobre o tenente coronel Almeida Lara diz-se o seguinte... o desenvolvimento do município teve, como destacado iniciador, Antonio Almeida Lara, dominadora e trepiante personalidade, bandeirante dado a aventura e empreendimentos julgados loucos para a época segundo narram as crônicas da época - verdadeiro filho da fortuna.

 

opulento com a cata das lavras que descobrira, criou um verdadeiro estado feudal agrário, dominando vasta escravatura que empregava na lavoura, na fabricação de açúcar e aguardente de cana, na fiação de peças de tecidos que a todos vestiram, e no engaravatamento das manhas auríferas.

De tal forma destacou-se entre os contemporâneos, que importava diretamente de Portugal os vinhos finos que obsequiava as visitas e cavalgava de raça vindos da Espanha.Antevendo que o futuro da região deveria apoiar-se, necessariamente na agricultura dedicou a essa atividade quantos braços escravos dispunha, retribuindo com abastança, sendo o introdutor da cana-de-açucar no Estado.

Em 1751, Dom Antonio Rolim de Moura Tavares trouxe dois missionários jesuítas para Mato Grosso. O Padre Agostinho Lourenço, como superior, acompanhou o governador para a fundação de Vila Bela da Santíssima Trindade. O Padre Estevão de Castro (assinava Castro), subiu para a Chapada de Cuiabá ou Santana de Chapada, como passou a ser chamada, para fundar a missão de Cuiabá. Arrebanhou índios indevidamente escravisados.

Mal deu tempo de firmar as missões, com 08 anos apenas de trabalho, pois os padres foram recolhidos a mando do Marques de Pombal, que ordenou a extinção da ordem dos jesuítas, fundado por Inácio de Loyola. As missões não continuaram e anos depois Santana de Chapada passou a ser sistematicamente atacada pelos índios.

Luis Pinto de Souza Coutinho, 3º governador da Capitania de Mato Grosso, em 1764, mudou o nome de Santana da Chapada ou Chapada Cuiabá, Sant" Ana de Chapada dos Guimarães, em homenagem a cidade de Guimarães em Portugal, com o correr do tempo, por costume, o nome foi simplificado para Chapada dos Guimarães. Em tempos recente, mais precisamente em 
1994, a Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso, votou a mudança do nome para Chapada de Guimarães. Alei vetado pelo governador permanecendo assim o nome original de Chapada dos Guimarães.

Em 1777, Francisco Xavier Duarte fundava uma propriedade no Rio da Casca, em terras que havia conseguido com o governador Melo e Cárceres. Esta propriedade que conheceu varias situações de posse e decadência, foi adquirida em 1823 por A. Joaquim Cerqueira Caldas, de cujos os herdeiros adquiriu Antonio Correia da Costa Junior, em 1860 fazendo-a prospera, povoando-a.

Em 1778, o juiz de fora de Cuiabá, Dr. Jose Carlos Pereira, visitou o lugar e conheceu o plano de construir ali uma igreja, que substituísse a capela coberta de palha feita pelo padre Estevão de Castro e que não teve serviço de manutenção.

Em 1779, o Dr. Jose Carlos Pereira volta a Chapada dos Guimarães e manda levantar a igreja, a 31 de julho do mesmo ano foi inaugurada. Mais tarde o mesmo juiz de fora mandou que aumentasse a construção. O Mestre João Marcos Ferreira, dourador e pintor trabalhou as obras de arte da igreja.

A igreja foi benzida com todas as solenidades de ritual romano, sendo a primeira missa celebrada pelo padre Jose Correia Leitão, no dia seguinte foi realizada uma grande festa, sendo que, na ocasião, foram expostos os retratos dos soberanos reinantes, D. Maria I e D. Pedro, de Portugal. Os Festejos Profanos constaram da cavalhada e outros folguedos.Tamanha importância dão ao fato, que a 25 de dezembro de 1779 o governador Luiz de Albuquerque de melo e Cárceres, escreveu o Ministro Matinho de Melo e Castro, comunicando a edificação da igreja de chapada, demonstrando ... bastante magnificência e asseio para essas terras, que de todo esta concluída.

Tombado pelo Patrimônio Historio Nacional, o templo apresenta duas características notáveis: a travação de caibros sem longarina de cumeeira e a Imagem de São José das Botas, imagem de inspiração garimpeira. No inicio dos anos 90, do presente século, deu-se o denodado trabalho de restauração as igreja. Na ocasião liberava este movimento a arquiteta Maria Clara Migliaccio, do IPCP- Mato Grosso, organismo ligado ao Ministério da Cultura.

Essa Igreja no começo era denominada de Sant´Ana do Sacramento.

Em 1814, o povoado foi elevado á categoria de freguesia, com a denominação de Sant´Ana da Chapada dos Guimarães, em 1848, através da lei provincial nº 219, de 11 de dezembro a Freguesia foi elevada á categoria de distrito de Chapada dos Guimarães.Com a guerra do Paraguai o distrito fornece o mantimento necessário ao abastecimento do exercito brasileiro sediado em terras mato-grossense, lucrando, assim, excepcional vantagem monetária.

Em 1875, foi criado distrito da paz de chapada dos Guimarães, tendo sido o primeiro livro de cartório rubricado pelo próprio presidente da província, Gabriel de Souza Neves.

... mas tarde, as constantes incursões dos índios que tanto infestaram a zona, a guerra a varíola e, por fim, a extinção bruto do elemento servil, privando, o s senhores de Engenho do braço escravo, sem lhe proporcionar outro recurso em substituição ocasionaram o declínio desta zona, antes tão prospera (José Barnabé de Mesquita in Eloy, p. 23). A liderança do centro produtor de rapadura e aguardente passou para a região de Santo Antonio e Rio Abaixo.

Por vários o lugar passou a letargo do processo.Por muito pouco o território que hoje constitui o município de Chapada dos Guimarães não se tornou a capital de Mato Grosso.

... homem de grande visão, percebeu a excelência do clima e da água de chapada, alem de ser próximo a baixada cuiabana, região central do estado, numa época que o sul não tinha se separado...admirador incondicional de tudo que se dizia a respeito da chapada, que chamava de Petrópolis de Cuiabá. Mário Correa chegou a ordenar a abertura de um grande rego d´água, que, partindo do rio mutuca, abastecia Cuiabá de água potável, por gravidade e cuja as escavações parciais, ainda hoje servem como prova testemunhal daquela obra. Isso sem contar a construção do famoso chalé do Mário Correa, na encosta dos paredões da salgadeira, que serviria como residência de veraneio para os governadores, e cujas as ruínas dos alicerces estão lá para quem quiser ver.

Imbuído do projeto de mudar as capital para o planalto chapadense, Mário Correa Criou uma comissão topográfica que, depois de vasculhar toda a área, optou pela região de Cajuru, por ser plana e alta, varridas pelos ventos, cercada de córregos e riachos e com uma visão panorâmica de beleza indescritível, esta região fica na atual estrada da chapada demando oRio da Casca, bem além do Morro da Geodésia (mirante) e a quem da Caverna do Francês (Caverna Aroe JARI) ou Lagoa Azul.

No dia14 de julho de 1927, em meio a uma grande cerimônia publica, o Governador Mário Correa lançava a pedra fundamental de Mariópolis, em homenagem ao seu criador, antecedendo e muito, a criação de Brasília e de outros grandes centros urbanos, previamente traçados urbanisticamente.A partir disso providenciou-se, também, trazer colonos sem terras do estado de Santa Catarina, para iniciar o povoamento na área, cujo descendentes vivem na chapada.

No entanto, com a vitória da revolução de 1930, Mário Correa não conseguiu levar adiante seus projetos, seus planos, não concretizados, foram simplesmente arquivados.

O sonho de Mariopólis sucumbiu e os colonos catarinenses, completamente desassistidos pelo governo, abandonaram, a região do Cajuru.uns permaneceram, outros voltaram ao estado de origem ou debandaram para as regiões mato-grossenses.

Fato relevante foi a chegada dos padres franciscanos a antiga vila, que se deu a 02 de janeiro de 1939 - o Frei Holt e Frei Dalfrido.

O Papa Pio XII, em setembro de 1940 criou a prelazia de Chapada dos Guimarães. A 26 de outubro de 1941, D. Winibaldo Talleur, franciscano, com apenas 35 anos de idade tomou posse da Prelazia. Iniciou-se um período de trabalho e realizações proveitosas para a comunidade, até então completamente abandonada pelo governo do estado.

... em 1942, após a penosa viagem pela péssima estrada de rodagem, chegaram a chapada um grupo de freiras e o Frei Osvaldo Braum, alemão nascido em Frankfurt, em 23 de dezembro de 1906. frei Osvaldo procedia do Japão, onde exerceu seu magistério sacerdotal por mais de 07 anos. Os franciscanos foram fundadores de todas as obras de assistência a população , como o hospital, escola, ambulatório e internato, frei Osvaldo era farmacêutico e tinha vocação para atender as pessoas doentes, transformando se em médico preferido de todas elas. A atuação dos franciscanos em chapada dos Guimarães foi de tamanha importância que é um capitulo a parte nessa história.

A lei nº 70, de 15 de dezembro de 1953, criou o municipio de chapada dos Guimarães, com área dos município de cuiabá e rosário oeste:

artigo 1º- fica criado o município de chapada dos Guimarães...

artigo 2º- o município de chapada dos Guimarães pertencera a comarca de Cuiabá e terá por cede a atual vila de chapada que pela aprovação da presente lei, passará a categoria de cidade.

A lei nº 370, de 31 de julho de 1954. alterou a redação da lei anterior.

A instalação oficial do município foi no dia 06 de fevereiro de 1955, com a posse do primeiro prefeito eleito, Sr. Adalberto Sampaio de Farias. Dentro de suas principais obras destacou-se a implantação da rede de distribuição de água e da iluminação elétrica permanente, ligada ao sistema de rede elétrica da usina do rio da casca.Nos anos que seguiram foram verificados muito benefícios ao município: o frei Osvaldo Braum construiu em 1942 o hospital santo Antonio, em 1944a escola educandário são Jose-internato masculino e femenino fundou em 1968 o sindicato dos trabalhadores rurais, em 1971 foi fundada a cooperativa mista de chapada dos Guimarães. A partir daí outros benefícios vieram como: no ano de 1972 foi fundado o curso ginasial, 1975, inplandtou-se o escritório regional da emater, em 1976 o presidente da republica Ernesto Geisel decretou o município de área prioritária para o turismo, sendo aprovado no mesmo anos o plano turístico; ainda neste mesmo ano foi instalada a primeira agencvibancaria e instalado o sistema de telefonia; em 1977, iniciou-se o asfaltamento da rodoviária MT 251, de Cuiabá á chapada; neste anos construído o Centro Educacional da Chapada - atual Escola Rafael de Siqueira
.
...

 

 

Fonte : http://www.chapadadosguimaraes.mt.gov.br 

Comentários : História de Chapada

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


contador grátis